Japão investe em biomassa para suprir demanda energética

Expectativa é que a biomassa seja 30% da energia renovável no país

Com as metas estabelecidas durante a COP21, o Japão vem investindo em energia renovável nos últimos anos à fim de mudar as condições de mercado e aos choques políticos ambientais. Uma das alternativas escolhidas pelo país é a produção de biomassa, a qual vem ganhando cada vez mais espaço na matriz energética japonesa.

O país vem aderindo ao programa “Melhor mistura de energia” e através dele equilibrando desafios que surgem pelo caminho como, por exemplo, obstáculos políticos, econômicos e ambientais. A ideia é encontrar alternativas importantes para o país até 2030.

O programa prevê um aumento nas alternativas renováveis nos próximos anos. Sendo de um aumento de menos de 1% em 2010 para 14% em 2030. De acordo com os especialistas japoneses a biomassa deverá representar cerca de 30 % do poder renovável do Japão em 2030 e mais de 4% do poder total do país. A produção provavelmente virá de grânulos de madeira importados.

O país que já defendeu o petróleo, o gás natural e a energia nuclear agora vem acreditando em medidas mais sustentáveis para a abastecer os japoneses. A energia renovável no Japão é promovida pelo sistema tarifário de entrada (FIT) do país, que fornece aos produtores de energia independentes (IPP) um preço de energia ajustado durante um período de contrato prolongado.

Os contratos de energia através de biomassa possuem validade de 20 anos no país, sendo preços diferente para cada tipo de produto. Em um novo estudo realizado pela FutureMetrics, mais de 130 projetos de IPP de biomassa são analisados. Esses projetos, se bem-sucedidos, usarão 4,5 milhões de toneladas métricas (MT) de pellets, 3,3 milhões de MT de cascas de palmeira e 10,2 milhões de MT de chips de madeira domésticos e importados.

Fonte: http://www.biomassabr.com/bio/resultadonoticias.asp?id=4522